terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Há uma nova ordem no mundo Virtual.


Há uma nova ordem no mundo Virtual.
Muitos conceitos foram surtindo com o avanço da utilização das mídias sociais. Sou da geração que na adolescência o contato era outro da moda mais antiga e pessoal. Hoje tanto pelo meu trabalho bem como por um novo estilo de vida estou conectada na maioria do tempo. Inicialmente até poderia ser uma opção, hoje uma tendência, compulsão e realidade imposta.
Como certo tipo de Hobby ou TOC avalio com um olhar “antropológico” esta fusão e suas nuances. Convivo com gerações mais experientes que acham isto a maior perda de tempo, privacidade e uma forma moderna de manter-se em uma redoma de vidro. Também trabalhei e convivi bastante com a nova “Geração Y e Z” (Y: é um conceito em Sociologia que se refere segundo alguns autores aos nascidos após 1980 e um público-alvo das ofertas de novos serviços e na difusão de novas tecnologias).
Boa ou Culpada? Está resposta é determinada de acordo como funciona a maioria das coisas, ou seja, definida pela forma de utilização, opção e escolha. Já pensou qual seu objetivo em usar destas ferramentas virtuais?
Observando inúmeras matérias, fóruns, palestras e bate papos em geral entre diversas fontes e geração sobre esta tendência percebe-se vários perfis. Que mesmo opostos acabam em algum momento interagindo. Analise por alguns minutos o pessoal do seu círculo e acredito que identificará alguns pontos. Existem diversos perfis:
- Fakes: transparecem uma coisa que não é;
- Ostentadores: utilizam as redes como uma forma de firmar uma posição;
- Cinderela: Tudo é perfeito e lindo;
- Revolucionários; jorram suas preferências e lutam para impor sua opinião;
- Desconfiados: que dividem o menos possível da vida pessoal, mas estão ali conectados;
E outros milhares... Acabamos por ter um pouco de cada. Aceitando ou não! E não querendo ser repetitiva, mas já sendo, acabamos a aprender nossos limites com cada experiência agradável ou desagradável e adaptando nosso perfil para esta realidade.
Destaco uma palestra que participei nesse ano de 2013 e a proposta chamou muito minha atenção porque apresentou uma visão inovadora sobre os movimentos e envolvimentos sociais tirando este “Karma” de futilidade, entretenimento ou consumismo e sim uma tendência em unir iguais e diferentes aproximando verdadeiramente as pessoas. As quais criam identificações reais, com sentimentos, uma corrente em que acolhemos e somos acolhidos. Movimentos sociais de massa criadas por energia não explicada ou obrigada e sim porque há um acordo com as identificações, percepções, ética, empatia e postura sobre assuntos de bem comum entre vários. Uma prova disto foram movimentos sociais vividos no mundo este ano que partiu das mídias sociais.
Neste ano criei blog, pag em mídias e tive várias experiências. Laços sinceros com pessoas que não sei muito, mas que desejo muito bem. E em conjunto nos ajudamos de uma forma diferente. Um novo tipo de amizade sem rótulo ou laços físicos, porém importantíssimos. Existe muita decepção, mentiras e aproveitamentos? Sim. O que hoje em dia não traz certo risco?
Quem são estes nossos? Como iremos conviver com este avanço? Ponderando quem sabe. Mas esta possibilidade de doar e receber carinho sem intenção maior é fantástica.
Isto deve ser preservado!
Nada é por acaso e geralmente tudo é feito ao acaso neste mundo virtual criando ciclos nas nossas vidas. Pessoas que do nada, sem saber, ajudam de forma bacana e inusitada. Como uma sinergia que atrai  e devolve. Em fim, como diria Lulu Santos “eu vejo um novo começo de era de gente boa bonita e sincera" Com sorte!!!
Uma singela homenagem aos amigos imaginários, invisíveis ou virtuais que tocam nosso coração com ternura, puxões de orelha e empatia. Partilha que cada vez mais possamos partilhar e doar pela singela forma de somar. Muito obrigada aos meus, seus e nossos.
Feliz 2014!!!
Patricia Ulmann